Promoção do kit Beijada por um Anjo

Olá queridos leitores! Depois de esperar alguns dias o post da resenha do livro beijada por um Anjo finalmente atingiu 20 comentários e, como eu disse, logo que atingisse a meta e iria lançar a promoção. O kit é o da foto abaixo. Quer saber como participar? É simples! Leiam e sigam as regras logo abaixo.


Regras:
- Ter endereço de entrega no Brasil
- Seguir o blog publicamente
- Seguir @thayscilla @novo_conceito e @beijadatrilogia no twitter
- Comentar neste post para validar a sua participação
- Preencher o formulário.


Chances Extras:
- Comentar na resenha (Link aqui) te dará a chance de preencher novamente o formulário, colocando no lugar específico para comentário o seu nome com qual você comentou.
- Divulgar no twitter a mensagem abaixo te dará o direito de preencher novamente o formulário. A divulgação deve ser feita com intervalos de, no mínimo, 1 hora.
Quero conhecer o livro Beijada por um Anjo que a @thayscilla está sorteando em parceria com a @novo_conceito (http://bit.ly/eBhjjh)
- Divulgar a promoção no seu blog te dará a chance de preencher novamente o formulário. Coloque em algum lugar do seu blog o código do banner abaixo e depois disso, preencha o formulário e no lugar de Link de divulgação coloque o link do seu blog.




A promoção será finalizada no dia 05 de Junho às 18 horas. Boa sorte para todos e até mais!

Resenha: Beijada por um Anjo - Elizabeth Chandler

Sinopse: Beijada por um anjo é o primeiro volume da série, escrita por Elizabeth Chandler. Ivy sempre acreditou em anjos… Quando ela conhece Tristan, descobre que ele é o amor da sua vida. Quando ele morre, seu coração está quebrado e sua crença em anjos desaparece. E sem essa crença, ela é incapaz de sentir a presença de Tristan, quando ele retorna – como um anjo.Agora, Ivy está correndo um terrível perigo, e Tristan está lutando para salvá-la. Como ele conseguirá protegê-la se ela perdeu a fé em anjos?E se ele conseguir salvá-la, ele terá terminado sua missão aqui na terra e terá que partir para sempre deixando-a para trás. Afinal, Salvar Ivy seria o mesmo que perdê-la justamente quando consegue reencontrá-la?

O livro foi realmente mais do que eu esperava. Eu não tinha grandes expectativas devido a algumas resenhas que eu já tinha lido mas o livro é bastante interessante. É bem fácil de ler, leve e por incrível que pareça, comecei a ler em uma tarde e depois de algumas horas eu já tinha terminado a leitura. Sem dúvidas, era o livro certo para passar esse feriado. Ótimo para ser pego em um momento bem sossegado, sentar ao ar livre e começar a ler. É uma delícia!
Ivy é uma garota normal, é bem legalzinha e ela acredita em Anjos. Suas amigas sempre contavam a ela que Tristan, o garoto nadador que tinha o apelido de Demolidor, parecia estar gostando de Ivy. Depois de um tempo e de muitas situações engraçadas, eles se conhecem melhor e Tristan começa a dar aulas de natação para Ivy. Esta, morria de medo de água, mas este medo é superado quando Tristan começa a ensiná-la a nadar. Eles começam um namoro e a cada dia ficam mais e mais apaixonados. O que eles não esperavam era que o destino lhes preparava uma separação.
Eu achei muito fofo o livro. E o Tristan, ele é tipo de cara fofo e que, mesmo não sendo o tipo bad boy – este é tipo que mais me fascina -, ele faz qualquer garota ficar caidinha por ele. Me deu pena da Ivy depois do acidente e mais pena ainda do Tristan. Ver o desespero de alguém que, ao mesmo está tão perto e tão longe do seu desejo, é muito triste.
Acho que vocês deveriam dar uma chance para este livro. Ele é bastante relaxante e gostoso de ler, principalmente para feriados em que você não tem nada para fazer. Espero que tenham gostado da resenha e peço que comentem para sair logo a promoção do kit beijada por um Anjo. Lançarei a promoção quando este post atingir 20 comentários ok? Beijos e até mais!




Resenha: Cidade das Cinzas - Cassandra Clare

Sinopse: Clary Fray desejava apenas que sua vida voltasse a ser normal. Mas o que é normal quando você é um demónio-assassino Caçador de Sombras (Shadowhunter), sua mãe encontra-se em um coma mágico induzido, e você pode de repente ver Downworlders como lobisomens, vampiros, e fadas? Se Clary deixasse o mundo dos Caçadores de Sombras (Shadowhunters) para trás, significaria mais tempo com seu melhor amigo, Simon, que se está transformando mais do que um amigo. Mas o mundo dos Caçadores de Sombras (Shadowhunters) não está pronto para a deixar ir… especialmente seu considerável, enfurecedor, irmão, Jace. E a única possibilidade de Clary ajudar a sua mãe é seguir o Caçador de Sombras Valentine, que é provavelmente insano, certamente malvado … e também seu pai. Para complicar assuntos, alguém na cidade de Nova Iorque está assassinando crianças Downworlders. É Valentine atrás das matanças… e se for, o que está tentando fazer? Quando o segundo dos Instrumentos Mortais, a Espada-Alma, é roubada, o assustador Inquisidor chega para investigar. Como pode Clary parar Valentine se Jace está disposto a trair tudo que acredita para ajudar a seu pai? Nesta sequela, de tirar o fôlego, de Cidade dos Ossos, Cassandra Clare atrai os seus leitores de volta ao escuro Submundo (Downworld) da cidade de Nova Iorque, onde o amor nunca é seguro e o poder se transforma na mais mortal das tentações.

Atenção! Esta resenha contém alguns spoilers, então, se você não leu o livro anterior recomendo que não leia a resenha.

Foi impossível não me apaixonar pela série Instrumentos Mortais, até porque o estilo de escrita da Cassandra Clare é muito bom e diferente de muitos livros de menininhas em que a narrativa é em primeira pessoa e, no qual, na maioria das vezes, a menina é muito chata. Quando terminei Cidade dos Ossos eu fiquei desesperada para ler mais. Consegui ler Cidade das Cinzas em dois dias.
Neste segundo livro da série Instrumentos Mortais, fica aquele clima todo ruim por causa das revelações de Valentim no livro anterior. Mesmo Clary e Jace sabendo que são irmãos, é impossível não rolar um clima. Ou então, se não rola clima rola ‘briga’. Clary parece estar cada vez mais disposta a se esquecer dos seu sentimentos por Jace e aposta em uma relação com Simon, seu melhor amigo. Como um bom irmão – ou não -, Jace tem aqueles ataques de ciúmes por causa da Clary estar saindo com Simon e, tem vários momentos em que os dois começam aquelas brigas bobas de garotos, que aliás, se eu fosse a Clary, me sentiria muito bem, haha. Aliás, quem não adoraria ter Jace brigando por sua causa? Own! Eu sim.
Enquanto eu lia o livro, ficava pensando: meu Deus, este livro está muito melhor que o primeiro! E com certeza é melhor sim, e em todos os aspectos. Podemos ver o desenvolvimento de muitos personagens e também de muitas relações. Um exemplo são os Lightwood – os pais e o irmão mais novo de Isabelle e de Alec – que no primeiro eram apenas citados. E vemos também a fortificação da relação do Alec com o Magnus, que, fala sério, não tem como esconder isso. Está na cara!
Comecei a me simpatizar mais com alguns personagens enquanto tinha outros que eu já adorava desde o primeiro livro da série. Com certeza o Magnus foi um personagem mais bem explorado neste segundo livro o que faz com que o leitor conheça um pouco mais dele e se simpatize com ele – ou não. Também conhecemos personagens novos como Maia, a Inquiridora e as fadas da Corte Seelie.
Neste livro tem cenas muito tensas e muitas que mesmo assim, é impossível não esquecer. No meu caso a minha cena favorita é quando eles vão para a corte de Seelie, que aliás, acho que é a minha cena favorita de todos os três livros - eu adoraria falar sobre a corte de Seelie mas seria um mega spoiler então é melhor não. O melhor de tudo é que diferentemente do livro anterior, neste aparecem narrativas de ponto de vista de vários personagens, o que faz você entender e encaixar melhor as coisas. Enfim, vou parar por aqui antes que eu solte algum spoiler pior. Ah, eu queria dizer que ia colocar algumas quotes mas achei melhor não, é melhor vocês lerem para terem a própria reação e opinião. Espero que vocês tenham gostado da resenha e eu recomendo que vocês leiam este livro o mais rápido possível, pois é muito bom MESMO! Ficarei aguardando pelos comentários de vocês. Beijos!!


Na minha caixa de Correio #10

Olá! Semana passada não teve vídeo mas agora tem. Quero desculpar-me pelos erros.. é que eu já tava quase me matando de tanto tentar fazer o vídeo e toda hora algo saía errado, fora que para não dar reflexo dessa vez eu tive que fechar a janela e saiu meio escuro :S . De qualquer modo, espero que gostem do que recebi e deixem seus comentários, ok? Beijos.

Resenha: Cidade dos Ossos - Cassandra Clare

Sinopse: Quando Clary decide ir a Nova York para se divertir numa discoteca, nunca poderia imaginar que testemunharia um assassinato - muito menos um assassinato cometido por três adolescentes cobertos por tatuagens enigmáticas e brandindo armas bizarras. Clary sabe que deve chamar a polícia, mas é difícil explicar um assassinato quando o corpo desaparece e os assassinos são invisíveis para todos, menos para ela. Tão surpresa quanto assustada, Clary aceita ouvir o que os jovens têm a dizer... Uma tribo de guerreiros secreta dedicada a libertar a terra de demônios, os Caçadores das Sombras têm uma missão em nosso mundo, e Clary pode já estar mais envolvida na história do que gostaria.

Em primeiro lugar quero me desculpar, desde já, se essa resenha sair uma porcaria total. Mas eu achei o momento mais adequado para escrever afinal acabei de ler Cidade dos Ossos e estou tentando não voar em cima do livro pois acho que posso causar algum dano a ele. O que eu acho de Cidade dos ossos? Simplesmente o MELHOR livro que eu já li esse ano. Por mais que tenha momentos que te encha de raiva, é impossível não se envolver nesta história magnífica cheia de seres sobrenaturais e um mundo que os mundanos sequer pensam que pode existir.
O livro começa quando Clary presencia um assassinato e depois disso, sua vida muda completamente. Clary pode ver coisas que os outros – mundanos – não podem pois mesmo ela querendo ou não ela pertence a esse Mundo de Sombras. A mãe de Clary desaparece misteriosamente e Clary começa a descobrir mais sobre esse mundo que ela não conhecia através dos três adolescentes assassinos que na verdade são Caçadores das Sombras. Mas não é somente Clary que é envolvida por este mundo. Simon, seu melhor amigo também começa a descobrir coisas que para ele só era possível em jogos de RPG. Mas, não tem como falar de Cidade dos ossos e não falar de Jace Wayland.


- É nessa hora que você começa a rasgar tiras da própria blusa para fazer um curativo no meu machucado? – brincou Clary. Ela tinha horror a sangue, principalmente ao dela própria.
- Se você queria que eu arrancasse minhas roupas, bastava pedir.
(Capítulo 10 – Cidade dos Ossos - pág. 183)

Jace é o - sonho de consumo de toda garota.. - cara sarcástico e bad boy que acompanha Clary em várias aventuras como por exemplo quando voam em uma moto que pertencia a vampiros. E é impossível não virar fã, não somente dele, mas do par super fofo que ele forma com a Clary. Mas, o que me destruiu enquanto lia o livro foi no final quando algumas coisas são reveladas e o par romântico pelo qual você esperava parece desmoronar. Admito que nessa hora eu estava com vontade de jogar o livro pela janela ou arrancar folha por folha ou sei lá mais o que.. Era uma raiva insana e eu achei um crime a autora ter feito isso.. mas enfim, percebi que era para o bom andamento da série – mas ainda não estou totalmente conformada.
Além desses personagens também tem o Simon - que eu achei fofo mas que eu não quero, de jeito nenhum, que fique com a Clary – a Isabelle – que eu achei muito fofa -, Alec – irmão de Isabelle -, Luke, Hodge, Valentim – o vilão malvado –, entre muitos outros.

[...] Lembra-se de quando estávamos no hotel e você prometeu que, se sobrevivêssemos, você iria se vestir de enfermeira e me dar um banho de esponja?
- Na verdade, acho que você ouviu mal – disse Clary. – Foi Simon quem prometeu o banho.
Jace olhou involuntariamente para Simon, que lançou um largo sorriso em sua direção.
- Assim que eu melhorar, bonitão.
- Eu sabia que deveríamos tê-lo deixado continuar sendo um rato – disse Jace.
(Capítulo 16 – Anjos cadentes - pág. 285)


O livro é escrito em terceira pessoa e fala sério, as vezes é bom um livro com essa narrativa pois depois de tantas garotas chatinhas te infernizando é bom ler um livro que tem ação e aventura até o fim e sem todo aquele negócio de livro de menininha. Não resta dúvidas que o livro foi super bem escrito e que foge de tudo aquilo que eu estava acostumada a ler. E para aqueles que ainda não leram, aviso previamente que terá momentos de risos, de raiva, de choro, de desespero.. é um misto de sentimentos que te deixa louco – mas claro, sempre continuando a virar páginas e mais páginas.. Quanto ao final, bem, eu tinha formado uma ideia de algumas coisas que foram reveladas mas tenho que admitir que mesmo tendo uma ideia do que eu esperava, foi uma enorme surpresa.

- No futuro, Clarissa – ele disse -, seria uma boa ideia mencionar que você já tem um homem na sua cama, para evitar situações desse tipo.
- Você o convidou para a sua cama? – perguntou Simon, parecendo abalado.
- Ridículo, não é mesmo? – disse Jace – Nunca caberíamos os três.
- Eu não o convidei para a minha cama – irritou-se Clary. – Só estávamos nos beijando.
- Só nos beijando? – O tom de Jace zombava dela com uma falsa tristeza. – Como você desqualifica assim o nosso amor?
(Capítulo 17 – A flor da meia noite - pág. 305-306)


Acho que tinha uma grande expectativa para este livro e fico feliz em contar-lhes que ele me surpreendeu e foi muito além do que eu esperava. Para mim? Um dos meus favoritos entre os que eu li até agora, neste ano. Agora, vou pedir para vocês comentem dizendo o que acharam da resenha, se vocês já lerão e se sim, o que acharam ou mesmo se vocês querem ler e qual é a expectativa de vocês. Ficarei feliz com os comentários de vocês. Agora, deixa eu terminar logo para poder começar a minha leitura de City of Ashes que – pelo que eu pude ler em alguns sites – vai me causar bastante sofrimento mas que mesmo assim quero muito ler. Então é isso. Até mais!


Opinião do Leitor #5 Feios

Olá amigos e leitores. Estou aqui com mais um post da coluna Opinião do leitor e novamente este é super especial pois quem participou foi a minha amiga Carol Mazzer. Ela é uma fofa além de me aguentar na escola e ouvir os sopilers que eu solto. Aliás, é uma troca de spoilers pois ela me conta sobre vários livros que leu, também. Ah, para quem quiser visitar o blog dela é só clicar no nome dela logo abaixo da opinião dela sobre Feios. Enfim, confiram abaixo a opinião da Carol.

Feios é um livro incrível , que me cativou muito . Quando comecei a lê-lo , logo imaginei que seria apenas uma história a mais , porém a narrativa deu várias reviravoltas , e o final me deixou simplesmente louca para ler a continuação , em Perfeitos ! O livro narra a história de Tally Youngblood , uma menina vesguinha , que gosta de aventuras e está prestes a completar 16 anos , que mora em Vila Feia . Nessa sociedade onde Tally vive , as pessoas ao completar 16 anos , passam por uma cirurgia onde seu corpo ganha formas e traços considerados perfeitos , pois para eles o normal é considerado feio . Tally sonha a vida toda em completar enfim os 16 anos , para poder se tornar uma perfeita e juntar-se a seus antigos amigos . Quando a maior parte dos seus amigos já haviam se tornado perfeitos , ela se vê praticamente sozinha , e a vontade de se tornar uma perfeita se torna cada vez maior , até que resolve ir escondida até Nova perfeição (local onde vivem os perfeitos) , e em uma dessas fugidas ela então conhece Shay , uma garota feia como ela ,com propósitos e ideais diferentes daqueles impostos pela “ Sociedade". No decorrer da história , Shay demonstra a Tally que o mundo vai além daquela cidade , ela mostra que se tornar perfeito e viver para sempre naquele local , pode não ser a melhor escolha pois ela quer ser feia pra sempre, quer fugir da cidade e, de quebra, levar Tally com ela.
Porem , Tally , tem propósitos totalmente opostos , será que mesmo assim ela abriria mão de um rosto maravilhoso , uma vida confortavel , a companhia de seus pais , seus amigos e até mesmo de seus amores para seguir Shay em uma vida nova?

O desenrolar a partir dai é fantástico , e quando Shay pensa que já viu de tudo , a vida lhe surpreende mais uma vez !
Para quem quer saber mais sobre a história , só mesmo lendo o livro . O preço médio é de R$30,00) lançado em 2010 pela Galera Record.
Espero que tenham gostado !

E então, o que acharam? Esperarei ansiosa pelos comentários de vocês e queria também deixar o convite para quem quisesse participar dessa coluna. E se você já participou e gostaria de participar novamente, não tem problema algum é só entrar em contato comigo ok? Beijos e até mais!

Resenha: Quem precisa de heróis? - Vivianne Fair

Sinopse:  Sephira é uma jovem donzela que está fugindo, sendo perseguida por dois encapuzados. Para a sorte da moça, quatro heróis estilosos surgem para salvá-la. Azar o deles se morrem pelas mãos da mesma. São ressuscitados por um clérigo e têm que pagar uma taxa absurda. Como heróis não costumam ter dinheiro - fazem tudo de bom coração e com os conselhos de seus livros de auto-ajuda - resolvem ir em busca da jovem e receber a recompensa pela captura dela, além de salvar o mundo da ameaça que a moça representa: pode destruir tudo com um espirro. De seu lado, a jovem logo encontra um elfo boa-pinta disposto a ajudá-la. Afinal, ela destruiu a sua aldeia e agora ele não tem nada melhor para fazer. De outro, um belo e poderoso feiticeiro, no melhor estilo vilão de RPG, deseja o poder de Sephira e procura seduzi-la. Você teria alguma idéia de como impedir alguém que pode destruir o mundo na primeira TPM?


Bem, como vocês devem ter visto no vídeo Na minha caixa de correio #9, recebi este livro através do book tour que a autora ourganizou. Na verdade, sempre fiquei curiosa sobre como a Vivi escrevia e tal e queria muito ler um livro dela e então é claro que eu não pude perder esta magnífica oportunidade.
Fiquei muito maravilhada pela capa, diagramação e tudo do livro que foi tão bem feito.. simplesmente adorei. E o mapa lá atrás então? Me ajudou muito e em vários momentos fiquei encarando imaginando as coisas. Posso resumir para vocês que este é um livro que acima de tudo solta  a sua imaginação e te leva para uma viagem magnífica em reinos distantes. Eu simplesmente adorei. Demais mesmo.
O livro começa cheio de mistérios, mas afinal tem que ser assim mesmo né? – e com o desenrolar da história é que começam a aparecer os personagens – elfos, fadas, heróis, vilões, etc. Gostaria de comentar que a Sephira em momento algum me deixou chateada, aliás, ela foi uma das personagens que mais me impressionou pois nos últimos livros que estive lendo só tinha personagem principal chatinha que fazia umas burradas que dava vontade de pegá-la pelo pescoço esganar, mas enfim, Sephira é diferente. Ela é uma personagem curiosa e pura que te faz ficar pensando se existe realmente alguém assim. E eu posso garantir que consegui refletir muito com essa personagem. Outro personagem que me deixou encantada é o Djin que além de lindo – elfo ruivo com aqueles cabelos maravilhosos – é sarcástico – é eu adoro personagens assim, é uma atração inexplicável – e ainda sofre por ter que viajar com mulheres. Sim, afinal, eu não sei como é porque eu sou uma mulher mas ele garante que não é nada fácil viajar com mulheres.

"- Parece que o vampiros agora só vai poder tomar sangue de canudinho! – zombou Djin, vitorioso.
Estava todos assombrados e sem reação. O vampiro cambaleou, furioso e seus olhos assumiram uma cor ainda mais escura e sem brilho.
- Diz aí, eram dentes de leite? Senão, vai precisar de um implante."


Tem muitos outros personagens que eu adorei e fiquei feliz por todos terem me ensinado algo, no final. O livro envolve não só magia e aventura mas também os sentimentos de amizade, inocência.. Eu me diverti muito com o livro e acho que foi o momento certo de ter lido pois descontraiu bastante e me fez rir horrores. Se vocês puderem ler eu com certeza recomendo pois aposto que vocês também irão se divertir com as aventuras de Sephira. Espero que tenham gostado da resenha e até a próxima.


Sobre a autora:
Vivianne Fair nasceu no Rio de Janeiro, mora em Brasília atualmente, e é vencedora de inúmeros prêmios nacionais de desenho, possuindo um currículo extenso nessa área. Mora com seu filho, que adora criticar suas obras. É professora de mangá (desenho japonês) há cerca de 10 anos e convive com fãs e jogadores de RPG (sendo ela uma deles) todo o tempo. Inclusive deram-lhe o apelido carinhoso de “chefa” por levá-la a loucura enquanto ela tenta coordenar um grupo de teatro cosplay (pessoas fantasiadas de jogos de anime ou filme). Durante esse tempo resolveu anotar as besteiras faladas do grupo e desenvolver uma história que, a princípio, era só para fins de exposição de arte e acabou por virar livro. Admite ser uma pessoa um pouquinho estressada, mas não se identifica tanto com seu superego no livro. Ora, mas quem não quer explodir o mundo quando fica irritado, às vezes?


Novas editoras parceiras do blog

Olá queridos leitores! Estou aqui para anunciar essa super novidade. O blog tem duas novas editoras parceiras: a Editora Novo Conceito - conhecida pela publicação dos vários livros do Nicholas Sparks - e a Editora Rai - que está com uma super novidade que é o livro Mordida de Amor. Enfim, vamos conhecer mais um pouco sobre as duas Editoras?



Sinopse : Um coração dividido entre dois mundos. Em uma pacata vila de pescadores da Nova Inglaterra, Charlie St. Cloud cuida dos gramados e monumentos de um antigo cemitério onde seu irmão mais jovem, Sam, está enterrado. Após sobreviver ao acidente de carro que tirou a vida de seu irmão, Charlie recebe um dom extraordinário: ele consegue enxergar, conversar e até mesmo brincar com o espírito de Sam. É neste mundo místico que entra Tess Carroll, uma cativante mulher treinando para navegar sozinha ao redor do mundo em um veleiro. O destino faz com que seu barco seja apanhado por uma violenta tempestade, trazendo-a assim para a vida de Charlie. Sua bela e incomum ligação os leva a uma corrida contra o tempo e a uma escolha entre a vida e a morte, entre o passado e o futuro, entre apegar-se ou deixar o passado para trás – e a descoberta que milagres podem acontecer se nós simplesmente abrirmos nossos corações.

“Não sou nada especial; disso estou certo. Sou um homem comum, com pensamentos comuns, e vivi uma vida comum. Não há monumentos dedicados a mim e o meu nome em breve será esquecido, mas amei outra pessoa com toda a minha alma e coração e, para mim, isso semrpe bastou.” Noah Calhoun. Assim tem início uma das mais emocionantes e intensas histórias de amor que você lerá na vida…
O livro é o retrato de uma relação rara e bela, que resistiu ao teste do tempo e das circunstâncias. Com um encanto que raramente é encontrado na literatura atual, O Diário de uma Paixão de Nicholas Sparks, o consagra como um contador de histórias clássicas, com uma perspectiva excepcional sobre a mais importante e única emoção que nos mantém.

Com mais de 12 milhões de cópias vendidas, o livro que emocionou as pessoas ao redor do mundo, foi traduzido para mais de 20 línguas.



Mordida de Amor contém os bastidores da saga Crepúsculo, é um belo tributo que inclui a história de Stephenie Meyer e de seus livros; capítulos sobre cada livro da série e os clássicos literários que os inspiram, biografias de Robert Kristen, Taylor e de muitos outros personagens do elenco da saga Crepúsculo; detalhes sobre a adaptação dos filmes Crepúsculo, Lua Nova, Eclipse e um capítulo dedicado aos fãs que fizeram dos livros e dos filmes um sucesso sem precedentes.

"Não Deixe de Acreditar” presta homenagem à gloriosa mash-up da música, comédia, drama e crítica social que colocou o Glee e sua banda no centro das atenções. Capturando todos os altos e baixos desta série inovadora, este livro é um guia de viagem da série Glee, o acompanhante perfeito para os fãs que pedem bis quando as cortinas se fecham.


Espero que tenham gostado da novidade e, fiquem atentos que em breve terão novas resenhas e muitos sorteios também! Beijos e até mais ;)

Resenha: Los Angeles - Marian Keyes

Sinopse: Maggie sempre foi uma anjinha, a cria mais certinha da complicada (e engraçadíssima) família Walsh... até se cansar de andar na linha e mandar todas as regras que a prendiam a um dia-a-dia em sal (e muito menos açúcar) às favas - a começar pelo casamento (que, para o bem da verdade, nunca havia realmente engrenado) e o trabalho bitolante numa firma de advocacia. Ao largar essa vida em preto e branco no passado, Maggie decide se mandar para o lugar onde a realidade promete ser em Technicolor: Hollywood, claro! Terra do glamour, da liberdade, da beleza (até as palmeiras das calçadas são magras), da luxúria e, obviamente, da diversão! Em Los Angeles, o sexto romance de Marian Keyes, a consagrada autora de "Melancia" e "É Agora... Ou Nunca", acompanhamos Maggie Walsh em sua busca por um sentido na vida em meio às calçadas estreladas de Hollywood, os subúrbios sofisticados de L.A., o bronzeado deslumbrante que só se consegue nas praias da Califórnia, vários martínis, algumas decepções... e muitas risadas, claro. Ao se hospedar com sua melhor amiga, Emily, uma pretendente a roteirista, Maggie começa a fazer coisas que jamais fizera antes: se infiltra em grupinhos de estrelas de Hollywood (mesmo que do segundo escalão), usa meias-calças na cabeça para firmar o penteado, se especializa em ser cara-de- pau profissional para realizar apresentações de roteiros a grandes (ou nem tanto) produtores... Mas será que em meio a tanta aventura, drama e comédia pastelão haverá espaço para um romance - daqueles bem cafonas e açucarados (ou seja, os melhores de todos)? Para o Daily Mail, "ler um romance de Marian Keyes é como estar à mesa com um grande amigo, aquele a quem você faz confidências, enquanto ele coloca você a par das novidades e das suas paqueras".

Bem, finalmente trago para vocês mais uma resenha de algum livro da Marian Keyes. Quando resenhei Férias (resenha aqui) eu disse que em breve estaria lendo mais livro da autora e cá estou eu. Não segui ordem de publicação, na verdade preferi continuar lendo livros que falavam sobre as mulheres da família Walsh. E, diferentemente de Férias, eu gostei muito deste livro. Como eu disse anteriormente em outras resenhas, Melancia eu simplesmente adorei mas por algum motivo que eu ainda não sei, o livro Férias não me agradou muito, mas estou feliz por não ter desistido de ler os livros da Marian pois Los Angeles é tão bom quanto Melancia.
Nos outros livros eu sempre lia sobre a Margaret mas, quando comecei a ler este livro narrado pela própria Margaret – Maggie para os íntimos – percebi que ela não era como as irmãs dela a definiam. Maggie parece ser certinha, a filha que dá orgulho a qualquer pai, mas, no fundo, ela tem segredos que deixariam as próprias irmãs assustadas. Com o fim do casamento de Maggie Walsh e Paul Garvan, Maggie vai para Los Angeles morar com uma amiga – Emily – e é então que sua história começa a ser desvendada. Uma história que não deixariam seus pais nada satisfeitos e que traz segredos como o cara pelo qual ela tinha largado Paul quando ainda era adolescente, sua gravidez aos dezessete anos, seu horror ao pensamento de engravidar novamente. Maggie também conta como foi engravidar de Paul duas vezes e perder as crianças em respectivos abortos. Maggie fica depressiva ao pensar no porquê de Paul ter traído ela e se ele ainda estava com a tal da mulher-trufa.
Por esses e muitos outros motivos, ela foi para Los Angeles onde começa uma vida nova em meio à roteiristas, produtores, ao mundo do cinema. Ela fica com Troy, ‘amigo’ de Emily e também passa a noite com Lara, também amiga de Emily. Enfim, Maggie passa em Los Angeles por todo quanto é tipo de situação – e quanto eu digo qualquer uma, é qualquer uma mesmo! Tipo sexo com Troy por uma noite, experiência lésbica com a Lara, e uma meia na cabeça para ajeitar o cabelo - e isso a faz refletir os motivos de sua separação com Paul.
É um livro que te faz rir até chorar. É também muito divertido e mostra como é difícil a vida na cidade de Los Angeles. Claro, também tem momentos em que Maggie se sente toda feia pois diz que por todo lado só tem gente bonita, magra, com cabelos, unhas e tudo perfeito. Eu gostei muito dos livros e acho que valeria muito a pena vocês tentarem ler. O único ponto negativo é de o livro ser muito caro. Aliás, todos os livros da Marian são caros.. Mas enfim, recomendo para todos que adoram um bom chick-lit e um aviso: não leiam perto das pessoas pois tem momentos em que a crise de riso é tanta que as pessoas vão te lançar olhares assustados. Espero que tenham gostado desta resenha. Aguardarei ansiosa pelos comentários de vocês e até mais!

Na minha caixa de Correio #9

Olá! Enfim, estou trazendo aqui mais um post Na minha caixa de correio e, por incrível que pareça, finalmente consegui passar um vídeo. E até que está decente.. Peço que ignorem o fato do reflexo aí que fez uma listra muito estranha.. e peço também que ignorem meu caipirês, meu cabelo armado e tal. Prometo que da próxima vez farei um vídeo bem mais descente e encontrarei um lugar melhor para gravar. De preferência onde não crie uma listra estranha .-. Então, confiram abaixo a minha tentativa e lembrem que é a primeira vez então, tentem me entender, rs.






Então é isso. Espero que tenham gostado e ignorado a minha cara feia, rs. Aguardarei pelos comentários de vocês. Até mais!

P.S.: Quem comentar neste post estará concorrendo a marcadores da série Foi assim que te amei da Adriana Brazil. Boa sorte para todos!

Resenha: Uma vegetariana no açougue

Sinopse: Uma Vegetariana no Açougue, lançamento da Editora Seoman, é a história engraçada e pertinente da busca de uma mulher que pretende reconciliar uma criação alternativa com os prazeres da carne. Membro de uma família vegetariana, Tara Austen Weaver nunca pensou que se desviaria do bom caminho. Mas, já adulta, descobriu que estava com problemas de saúde e, depois de tentar todo tipo de tratamento, uma médica finalmente lhe receitou carne. Cautelosamente, ela se aventura por um açougue e, quando o homem atrás do balcão faz um embrulho com sua primeira carne de frango, ela fica sem saber o que fazer. Por fim, ele a encoraja a descobrir como preparar várias carnes do açougue. Enquanto Tara viaja por esse novo mundo cheio de confusão – lutando com a aversão á carne crua e tentando descobrir galinhas criadas soltas de verdade – é tentada a desistir e voltar para o tempê. Quanto mais coisas fica sabendo sobre a carne e a maneira pela qual é produzida, e sobre os efeitos do seu consumo sobre o corpo humano e o planeta, tanto menos acha que sabe. Embarca em uma vagem estonteante, às vezes hilária, às vezes assustadora, que vai do açougue à mesa do chef, da fazenda urbana ao lar dos vaqueiros que arrebanham o gado. Ao longo do caminho, conhece um elenco inesquecível de personagens, todos parecendo ter um interesse velado na opção dela por nabos ou ossobuco.
Em primeiro lugar gostaria de dizer que a Editora caprichou no livro pois além de ter uma diagramação ótima, também tem a capa muito linda em papel reciclado. Eu simplesmente adorei essa ideia. Mas de qualquer maneira, vou começar a falar sobre o que achei da história.
A personagem após ter alguns problemas de saúde, vai ao médico que lhe diz que ela precisa começar a comer carnes. Mas Tara é vegetariana e a ideia de começar a comer carne, parece-lhe repugnante. Com o passar do tempo ela vai experimentando novas receitas com carnes. Em momento algum no livro, a autora diz se é certo ou não comer carne, ela apenas mostra os benefícios e deixa com que você tire a sua própria conclusão sobre isso. Eu achei muito legal o livro pelo fato de mostrar, por exemplo, de onde vinha a carne que ela comprava, de citar como o gado é criado,etc. São fatos que até então eu não conhecia e que eu adorei conhecer. Eu acho que o único ponto negativo no livro é que as receitas muitas vezes são usados termos que eu não conhecia. Sim, sou péssima em cozinha e por isso foi um pouquinho mais difícil a leitura do livro. Mas fora isso, eu gostei muito. Fica aqui a minha recomendação para todos aqueles curiosos sobre esse livro. Até mais!