Resenha: Resposta Certa - David Nicholls

Sinopse: O ano é 1985. Brian Jackson, com uma bolsa de estudos e ótimas notas, acaba de entrar para a universidade. E parece que finalmente conseguirá realizar um antigo sonho: aparecer em um popular programa de perguntas e respostas na televisão, onde poderá demonstrar todo o seu repertório de cultura geral. Após entrar para a equipe da faculdade e passar pela fase classificatória, Brian se prepara para seu primeiro embate televisivo, ao mesmo tempo em que se vê apaixonado por uma de suas colegas de time: a linda, inteligente e assustadoramente elegante Alice Harbinson. Quando Alice se recusa a ceder aos encantos ligeiramente ansiosos de Brian, ele aparece com um plano infalível para conquistar o coração de sua amada de uma vez por todas. Ele vai ganhar o jogo. A qualquer custo. Porque, afinal, todos sabem que o que uma mulher realmente procura em um homem é uma vasta gama de conhecimentos gerais...
Depois de ter lido Um dia e ter classificado ele como a minha melhor leitura de 2011, não esperava a hora de ler algo mais do David Nicholls já que simplesmente amara o primeiro livro que tinha lido do autor. Então, é com muito pesar, que venho dizer que Resposta Certa simplesmente não alcançou as minhas expectativas, aliás, bem longe disto.
Em Resposta Certa, Brian conta-nos um pouco de sua vida e narra suas aventuras como um calouro na universidade, sua entrada no Desafio Universitário e sua queda por Alice Harbinson. No início da leitura, achei o personagem legal, e até consegui me identificar com ele em alguns momentos, porém o que se passa na trama é que estar na universidade realmente mudou o personagem. Ele passa de um cara bacana para um total babaca e isso realmente me irritou. As atitudes de Brian não tem justificativa e ter que aguentar ele fazendo besteira não foi nada fácil.
Sei que David Nicholls não queria que fosse um livro bonitinho nem nada mas não fiquei revoltada com o autor, mas sim com o personagem. O Brian é aquele personagem super real, no qual eu realmente gostaria de bater. Também sei que a universidade é uma experiência diferente e tal mas ainda assim, como eu disse anteriormente, as atitudes de Brian não tem justificativa. A transformação do Brian bacana para o Brian babaca que é um idiota a fim de uma menina bonita é simplesmente insuportável.
Mas não é só este o motivo de não ter curtido o livro. Infelizmente, pelo jeito que ocorreu a trama, a narrativa ficou chata e as descrições muito extensas. E, apesar de no início esse ser um ponto positivo no protagonista – já que a narrativa é em primeira pessoa – com a sua mudança comportamental começou a ficar uma leitura exaustiva.
Sinceramente, não esperava isto de um livro do David Nicholls mas acredito que o livro não tenha atingido minhas expectativas devido à minha decepção quanto ao personagem. Um dia, que foi um livro com uma trama diferente, realmente me agradou. Então, ainda tenho esperanças de ler outros livros do David.


Resenha: Cidade dos Anjos Caídos - Cassandra Clare



Esta resenha contém spoilers dos livros anteriores

Sinopse: A guerra acabou e Caçadores de Sombras e integrantes do submundo parecem estar em paz. Clary está de volta a Nova York, treinando para usar seus poderes. Tudo parece bem, mas alguém está assassinando Caçadores e reacendendo as tensões entre os dois grupos, o que pode gerar uma segunda guerra sangrenta. Quando Jace começa a se afastar sem nenhuma explicação, Clary começa a desvendar um mistério que se tornará seu pior pesadelo.
Ao meu ver, Cidade de Vidro tinha acabado do jeito exato que eu queria. Nunca senti uma necessidade extrema de mais livros para continuar a série, mas livros dos Caçadores de sombras nunca é demais, né? Por esse lado, posso dizer que estou satisfeita pela Cassandra ter continuado a saga dos Caçadores de Sombras, mas por outro, sinto que a maldade da Cassie não tem fim e que um dia ainda morrerei de angústia por causa do que ela faz com os personagens que eu gosto.
Cidade dos Anjos Caídos começa algum tempo depois de Cidade de Vidro. Algumas relações familiares parecem estar voltando ao normal enquanto outras ainda estão só no começo. Apesar de Jocelyn não gostar da ideia de Clary treinando para ser uma Caçadora das sombras, ela aceita que a filha treine. Mas o que realmente faz tudo tão real é que os personagens da Cassandra são extremamente reais. Jocelyn, apesar de aceitar o treinamento da filha, impõe regras sobre horários, sobre o namoro com Jace, etc. Esses pequenos detalhes mostram todo o cuidado da Cassandra na construção de seus personagens, pois, para uma mãe que passou anos da vida tentando esconder a verdade da filha, ela não irá de uma hora para a outra ser totalmente liberal. Ou seja, isto e muito mais faz com que a série continue totalmente concisa com o início.
Como vocês leram acima, sim, Jace e Clary estão namorando. Todo este livro teve um foco especial no Simon, sim, mas também focou bastante no casal Jace e Clary. Para aqueles que esperavam um livro tranquilo quanto ao romance, sinto dizer que este casal está longe de chegar ao seu final feliz. Alguns capítulos focados no Jace nos mostra que ele está tendo alguns sonhos estranhos, e que põe a Clary em verdadeiro perigo. Já a heroína, ela se mostrou capaz de tudo para fazer com que Jace fique bem. Infelizmente, nem tudo depende da força de vontade dela.
Este é aquele livro que, quando você acha que o casal vai finalmente chegar a outra base, a Cassie quebra seu coraçãozinho de shipper. E, no final, quando você acha que agora vai dar certo, ela faz uma coisa mais terrível ainda e que eu ainda não superei. Estou em um momento Oh my God desde que li Cidade dos Anjos Caídos pela primeira vez. Sério, Cassie, porque você é tão má????
Mas enfim, deixando de lado a minha frustração, posso dizer que o livro é bom. Não foi o meu preferido, e eu ainda não estou certa de que continuar a série foi realmente necessário, mas estou curtindo até agora. Apesar de todo o drama do casal continuar, gostei bastante da autora ter dado foco também para personagens secundários como a Izzy e Simon e para o casal mais lindo de todos os tempos: Malec   – Magnus e Alec.
Para os viciados na saga dos Shadowhunters, eu totalmente recomendo a leitura deste. Como eu disse, apesar de ainda não estar certa se os próximos serão tão bons quanto os anteriores, acho que vale a pena continuar a série e ver no que dá. Espero, realmente, que a Cassie tenha um pouquinho de bondade no coração e pare de fazer os fãs de Clace (Clary&Jace) sofrerem.
Agradeço à editora Galera Record pela cortesia do exemplar, e, mais uma vez, quero parabenizar por manter a diagramação perfeita e no estilo dos livros anteriores. Adorei os brilhos, a capa, tudo!

Então, estão esperando o que? Se ainda não leu nenhum livro da série Os Instrumentos Mortais, comece agora mesmo! Se já leu, continue, pois garanto que não decepcionará.