Resenha: Simplesmente Ana - Marina Carvalho

Sinopse: Imagine que você descobre que seu pai é um rei. Isso mesmo, um rei de verdade em um país no sudeste da Europa. E o rei quer levá-la com ele para assumir seu verdadeiro lugar de herdeira e futura rainha… Foi o que aconteceu com Ana. Pega de surpresa pela informação de sua origem real, Ana agora vai ter que decidir entre ficar no Brasil ou mudar-se para Krósvia e viver em um país distante tendo como companhia somente o pai, os criados e o insuportável Alex. Mudar-se para Krósvia pode ser tentador — deve ser ótimo viver em um lugar como aquele e, quem sabe, vir a tornar-se rainha —, mas ela sabe que não pode contar com o pai o tempo todo, afinal ele é um rei bastante ocupado. E sabe também que Alex, o rapaz que é praticamente seu tutor em Krósvia, não fará nenhuma gentileza para que ela se sinta melhor naquele país estrangeiro. A não ser… A não ser que Alex não seja esta pessoa tão irascível e que príncipes encantados existam. Simplesmente Ana é assim: um livro divertido, capaz de nos fazer sonhar, mas que — ao mesmo tempo — nos lembra das provas que temos que passar para chegar à vida adulta.
Este livro foi exatamente do jeito que eu esperava. É um livro gostoso de ler, bem o meu estilo, e para surpreender e mostrar aos leitores que autores nacionais também fazem sucessos e agradam tanto quanto YA’s internacionais.
Ana é uma garota como qualquer outra que, do nada, descobre que seu pai é um rei de um país na Europa. Com a finalidade de dar uma chance para o pai e uma chance para si mesma de conhece-lo, Ana parte para a Europa para passar um período com o pai, na Krósvia. Lá Ana conhece Alex, o enteado do pai de Ana. Carrancudo, grosso e desconfiado, Alex começa a conhecer Ana e mostrar para ela o seu país e, com tanto charme, Ana é incapaz de não pensar em Alex. Mas nem tudo é uma maravilha e Ana tem que se virar com seus problemas e com Alex sem ter seus amigos e mãe por perto, ao mesmo tempo em que divide-se cada vez mais entre o Brasil e a Krósvia.
Como eu disse antes, gostei muito do livro. Achei que tem um desenvolvimento legal dos personagens, do romance entre Alex e Ana, e das próprias relações familiares. Tem um pouco de mistério com relação aos sonhos de Ana e isso deixa a trama bem fascinante.
Porém, eu esperava um pouco mais da personagem. Em alguns  momentos ela toma umas atitudes realmente importantes como adulta, em outros ela age como criança e isso acabou me irritando bastante. Mas no geral, adorei o casal, adorei os personagens secundários, a relação de Ana com os pais, a história da família real da Krósvia. Achei tudo fantástico e bem desenvolvido.
A escrita da autora é leve, gostosa e bem jovem. Gostei muitíssimo disso. É um livro curto, para ser lido rapidamente. Adorei a diagramação e capa e dou os parabéns para a Novo Conceito pela belíssima edição do livro.

Recomendo a leitura para as leitoras que gostam de um chick-lit ou mesmo livros YA.


Resenha: Meu amor, meu bem, meu querido - Deb Caletti

Sinopse: É verão no nordeste da cidade de Nine Mile Falls e Ruby McQueen, de 16 anos, comumente conhecida como A Garota Calada, está saindo com o maravilhoso, rico e louco por emoções Travis Becker. No entanto, Ruby está num beco sem saída e percebe que se arrisca cada vez mais quando está com Travis. Em um esforço para manter Ruby ocupada, sua mãe, Ann, a arrasta para o clube de leitura semanal que ela comanda. Quando descobrem que uma das criadoras do clube é a protagonista de uma trágica história de amor que estão lendo, Ann e Ruby planejam um encontro dos amantes de longa data. Contudo, para Ruby essa missão acaba sendo muito mais do que apenas uma viagem...
Eu já tinha lido um livro da autora antes então já sabia mais ou menos o que esperar deste livro. E, em Meu amor, meu bem, meu querido o estilo da autora não mudou em nada. Continua com a escrita leve mas que ao mesmo tempo mostra as profundezas dos sentimentos da protagonista, além de que, desde o começo da trama a autora já tem um destino bem específico para suas personagens.
Li várias resenhas deste livro e tenho que discordar de algumas coisas que li pois eu achei que a autora teve, sim, desde o início um objetivo com este livro e com essa personagem, a Ruby. A Ruby é uma adolescente que, como qualquer adolescente, se rende aos encantos de Travis, um badboy. Mas a autora nos mostra que quando Ruby está perto de Travis, ela é instável, ela se rende aos desejos de Travis, faz tudo o que ele quer. E um relacionamento não deve ser assim. A mãe de Ruby tenta mantê-la longe dele para que esta influência ruim acabe e é assim que Ruby acaba entrando em um clube de leitura.
Neste clube de leitura chamado Rainha Caçarola, os integrantes – que são bem mais velhos que Ruby – acabam por lhe contar das próprias experiências amorosas e em meio a isto, descobrem o segredo de uma integrante, que acabará levando-os a uma jornada em prol do amor.
É uma delícia ver a jornada destas pessoas, conhece-los pelas suas histórias e sentimentos. Senti que a autora tinha um propósito para nos mostrar com essa história, como no outro livro que li da autora, mas ao mesmo tempo é uma história aparentemente despretensiosa e leve.
Gosto do jeito de escrita da autora, gosto dos temas que ela aborda em seus livros e com Meu amor, meu bem, meu querido não foi diferente. Foi uma leitura agradável e que eu recomendo, apesar das muitas críticas negativas. Até porque é um livro bem pequeno e dá para ler super rápido.


PS: Desculpem-me pela falta de postagens mas a faculdade está consumindo meu tempo. Vou tentar postar resenhas sempre que der :)

Resenha: A Pílula do Amor - Drica Pinotti


Sinopse: Esta poderia ser mais uma daquelas histórias em que a protagonista está na faixa dos 30 anos, é bonita, descolada, tem um emprego legal, uma mãe meio rebelde e sonha com um grande amor que de preferência não dê muitos palpites em sua vida. Poderia, se Amanda não contasse com um ingrediente a mais: ela é totalmente, absolutamente, hipocondríaca. Não passa uma semana sem se presentear com uma consulta ao novo especialista da cidade, seja lá qual for a especialidade.
A chegada de Brian à vida de Amanda bem que poderia dar uma virada de mesa nessa situação, mas ele tem um cachorro, o que inviabiliza qualquer possibilidade de romance. Afinal, Amanda prefere morrer solteira a conviver com os milhares de germes que habitam o corpo daquele animal "selvagem"...
A pílula do amor é um romance sobre neuras, mas sobretudo sobre tolerância. Brian saberá dar a Amanda o remédio de que ela no fundo precisa? E Amanda conseguirá descobrir qual é a verdadeira causa de seu problema e poderá ter uma vida normal e feliz? Descubra a resposta na divertida história de Drica Pinotti, um livro que fará você rir muito, lembrar de pessoas conhecidas e, principalmente, parar para pensar se não está levando as coisas muito a sério.
Desde que este livro foi lançado eu fiquei com uma curiosidade imensa de ler. Autora brasileira, sucesso entre os livros teens, é claro que um dia eu teria que ler algum livro dela e felizmente tive a minha chance de conhecer a escrita da autora em A Pílula do Amor.
A pílula do amor é um livro narrado por uma personagem totalmente diferente das que eu costumo encontrar nos livros que eu leio. Ela tem 30 anos e é uma hipocondríaca. Isso tornou o livro totalmente diferente dos que eu estou acostumada e isso fez com que eu prestasse uma atenção especial nele, para poder contar agora, para vocês, os pontos que mais me chamaram a atenção durante a leitura.
Amanda é uma personagem engraçada, bonita, tem um trabalho legal, problemas de família, tudo que uma mulher normal tem, mas essa personagem desenvolveu ao longo dos anos uma hipocondria o que a torna uma personagem diferente. Durante a leitura, vemos claramente todos os problemas de Amanda devido à sua hipocondria. Seja uma dor ou qualquer coisa muito simples que apareça em Amanda, ela torna isto um sintoma de uma doença grave. Tive compaixão de Amanda, pois em alguns momentos até poderia ser uma situação engraçada mas depois de tantas doenças imaginárias que Amanda apresenta durante o livro, eu sofri junto com a personagem.
O livro em si não tem um enredo curto. Cada capítulo é uma situação nova mas ao mesmo tempo sabemos exatamente o que já aconteceu e o que Amanda está procurando. O livro tem romance sim mas não é todos os capítulos que aborda a vida romântica de Amanda. Achei que isso tornou o livro mais interessante, menos meloso, e mais gostoso de ler. Pois tem tantos livros em que a personagem feminina conhece o galã e logo se apaixona e no livro da Drica Pinotti, isso não acontece. O leitor sente que há um enorme espaço de tempo entre o começo e o final do livro e isso deixa o livro mais conciso. As mudanças que a Amanda sofre, as situações, o desenvolvimento de sua relação amorosa, é tudo tão bem explorado e encaixado cada um em seu tempo correto da trama. De verdade, a autora foi fantástica nisso pois não há buracos e não há qualquer superficialidade.
Os demais personagens são bem interessantes também. Podemos ver ao longo do desenvolvimento da trama mais sobre a relação de Amanda com sua família e com seus amigos. E acompanhamos também o desenvolvimento da relação de Amanda com seu vizinho, Brian. Mas, mais do que isso, nota-se um desenvolvimento da própria protagonista, seus medos e suas manias gerados pela hipocondria, e posteriormente seu esforço e sua vontade de superar a hipocondria.
É um livro sensacional. Que me fez abrir os olhos para um novo estilo de protagonista. É um livro que eu recomendo para principalmente aqueles leitores que gostam de um chick-lit ou um Young adult, acho que vale a pena vocês darem uma chance e lerem A Pílula do Amor.


Lançamentos do Grupo Editorial Pensamento

Sinopse: Bia está parada num engarrafamento no Rio de Janeiro, pensando em sua vida azarada. Sem emprego, atolada em dívidas, ela não imagina que está prestes a viver a grande coincidência da sua vida. O motorista do carro ao lado está buzinando, tentando se comunicar com ela, como se fosse um velho conhecido... E ele é! Mas Bia não o reconhece. E como poderia? Ele é um homem, não mais o garoto de dez anos atrás. Está mais encorpado, cortou o cabelo, livrou-se do aparelho nos dentes e das espinhas do rosto, está tão diferente, tão lindo... O motorista sai do carro, mas não tem tempo de se explicar, pois começa um violento tiroteio e eles têm que se jogar lado a lado no asfalto. Certa de que está prestes a morrer, Bia entra em desespero e se prepara para dizer suas últimas palavras, na esperança de que o suposto desconhecido deitado ao seu lado possa levar um recado a Guga, seu amor da adolescência, sem perceber que é ele próprio que está ali, ouvindo a inesperada declaração de amor! Os dois escapam juntos do tiroteio e, a partir daí, começam a se envolver, dia após dia... Guga, sem coragem de assumir sua verdadeira identidade. Bia, fascinada por ele e feliz consigo mesma por finalmente estar se apaixonando por alguém que não é Guga... Azar o seu! vai além de uma comédia romântica. É uma reflexão sobre a importância da amizade verdadeira, do perdão e do autoconhecimento, que nos resgata o poder de decidir sem medo e de reverter escolhas que nos impedem de ser feliz. 

Sinopse pode conter spoilers para quem não leu os livros anteriores!

Sinopse: Em um acampamento cheio de lobisomens, vampiros e fadas, Kylie Galen sempre lutou para descobrir o que ela é. Agora, ela finalmente sabe a verdade, mas ela ficou com mais perguntas do que respostas. Ela não tem ideia do que sua herança significa ou como aproveitar seus novos poderes. Tudo o que ela sabe é que ela precisa resolver seus sentimentos por Derek, o sexy Fae, que acabou de confessar o seu amor, e Lucas, seu namorado lobisomem que parece não estar comprometido tanto quanto ela gostaria. Todo esse tempo, Kylie lida com um grupo de bandidos subterrâneos que querem vê-la morta e um avô misterioso, que deixa claro que ele não confia no FRU... ou Shadow Falls. Logo Kylie terá que escolher: Será que ela vai ficar com a nova família que ela formou em Shadow Falls, ou será que ela vai com seu avô e abraçar o seu destino?


Sinopse: A vida de Anya dá uma guinada quando ela cai num buraco na floresta e encontra o fantasma de uma garota morta há muito tempo, Emily. Por ter sido privada da vida de uma adolescente normal, Emily é um fantasma ressentido. Quando consegue seguir Anya até em casa, procura maneiras de ser útil e convencer Anya a deixá-la ficar. E Anya começa a desfrutar dos benefícios de uma amiga invisível, que pode ajudá-la a viver no mundo às vezes complicado de uma escola secundária. Naturalmente, os problemas não tardam a surgir. E, como dá para adivinhar, o resultado dessa amizade pode causar situações desastrosas e assustadoras.

Lançamentos da Novo Conceito - Abril 2013



Ansiosos para os próximos lançamentos da Novo Conceito? Ainda não sabe quais são? Então este post é para você. Fique ligado com os lançamentos da NC deste mês:

   
   



Liberta-me é o segundo livro da trilogia de Tahereh Mafi. Se no primeiro, Estilhaça-me, importava garantir a sobrevivência e fugir das atrocidades do Restabelecimento, em Liberta-me é possível sentir toda a sensibilidade e tristeza que emanam do coração da heroína, Juliette. Abandonada à própria sorte, impossibilitada de tocar qualquer ser humano, Juliette vai procurar entender os movimentos de seu coração, a maneira como seus sentimentos se confundem e até onde ela pode realmente ir para ter o controle de sua própria vida. Uma metáfora para a vida de jovens de todas as idades que também enfrentam uma espécie de distopia moderna, em que dúvidas e medos caminham lado a lado com a esperança, o desejo e o amor. A bela escrita de Tahereh Mafi está de volta ainda mais vigorosa e extasiante.


Imagine que você descobre que seu pai é um rei. Isso mesmo, um rei de verdade em um país no sudeste da Europa. E o rei quer levá-la com ele para assumir seu verdadeiro lugar de herdeira e futura rainha… Foi o que aconteceu com Ana. Pega de surpresa pela informação de sua origem real, Ana agora vai ter que decidir entre ficar no Brasil ou mudar-se para Krósvia e viver em um país distante tendo como companhia somente o pai, os criados e o insuportável Alex. Mudar-se para Krósvia pode ser tentador — deve ser ótimo viver em um lugar como aquele e, quem sabe, vir a tornar-se rainha —, mas ela sabe que não pode contar com o pai o tempo todo, afinal ele é um rei bastante ocupado. E sabe também que Alex, o rapaz que é praticamente seu tutor em Krósvia, não fará nenhuma gentileza para que ela se sinta melhor naquele país estrangeiro. A não ser… A não ser que Alex não seja esta pessoa tão irascível e que príncipes encantados existam. Simplesmente Ana é assim: um livro divertido, capaz de nos fazer sonhar, mas que — ao mesmo tempo — nos lembra das provas que temos que passar para chegar à vida adulta.




Promoção: Sob o céu do Nunca



Olá pessoal! O livro é incrível, por isso participem bastante. Cumpram as regras para não dar problemas depois, ok?



a Rafflecopter giveaway

Resenha: Sob o céu do nunca - Veronica Rossi


Sinopse: Desde que fora forçada a viver entre os Selvagens, Ária sobreviveu a uma tempestade de Éter, quase teve o pescoço cortado por um canibal, e viu homens sendo trucidados. Mas o pior ainda estava por vir... Banida de seu lar, a cidade encapsulada de Quimera, Ária sabe que suas chances de sobrevivência no mundo além das paredes dos núcleos são ínfimas. Se os canibais não a matarem, as violentas tempestades elétricas certamente o farão. Até mesmo o ar que ela respira pode ser letal. Quando Ária se depara com Perry, o Forasteiro responsável por seu exílio, todos os seus medos são confirmados: ele é um bárbaro violento. É também sua única chance de continuar viva.
Perry é um exímio caçador, em um território impiedoso, e vê Ária como uma menina mimada e frágil – tudo o que se poderia esperar de uma Ocupante. Mas ele também precisa da ajuda dela, somente Ária tem a chave de sua redenção. Opostos em praticamente tudo, Ária e Perry precisam tolerar a existência um do outro para alcançar seus objetivos. A aliança pouco provável entre os dois acabará por forjar uma ligação que selará o destino de todos os que vivem sob o céu do nunca.
Sob o céu do Nunca é aquele tipo de distopia fantástica que encanta o leitor fã deste gênero. Com cenários diversos, Veronica Rossi nos leva à este mundo onde o Éter é inconstante e amedronta todos os sobreviventes, sejam eles Ocupantes ou Forasteiros.
Com capítulos alternados entre Aria e Peregrine, a autora expandiu a visão do leitor, para entender ambos os lados – o lado de Aria como uma Ocupante e o lado de Perry, como um Forasteiro. Isso enriqueceu muito o livro, dando-nos a chance de realmente conhecer os dois protagonistas e, claro, de ver crescer a forte ligação entre eles. E, apesar de ter romance neste livro, o romance não é o foco principal e isto me agradou muito. Adoro livros românticos mas a autora soube explorar, desenvolver bem o enredo e com isto o casal principal, sem exagerar em nada.
Aria, logo nos primeiros capítulos, passa uma sensação de garota esperta e isso me encantou logo de cara. Mas só ao longo de sua trajetória – a perda da amiga, ser abandonada pelos Ocupantes, entre outras coisas que vem a acontecer com ela – é que percebemos que ela se torna uma verdadeira heroína. Gostei muito desta personagem e em momento algum ela me deixou irritada, acho que todas as ações e todo o seu desenvolvimento foi bem verdadeiro e compreensível.
Perry, por outro lado, era uma incógnita para mim. Personagem meio descontrolado, instável, mas ainda assim muito apaixonante. É ótimo conhecer sua história e, claro, senti muita pena por tudo o que ele passou. Enquanto as experiências que Aria passa ao seu lado são todas novas, Perry já vem se virando no mundo desde sempre, sofrendo com tudo que se possa imaginar. É incrível ver o desenvolvimento de Perry ao lado de Aria, suas descobertas, seus laços se formando. Mais incrível ainda ver que ele sempre pensa nos outros, em seu povo, em sua tribo e quer fazer o melhor por eles.
Neste livro, a autora nos apresenta muitos personagens mas poucos são os que realmente brilharam para mim. Alguns ainda me deixaram curiosa para saber mais sobre suas histórias. E ainda pretendo vê-los novamente na continuação.
O final foi fantástico. Aquele tipo de final inesperado, que vem em poucas páginas e te arrasta. Parece sonho. Lindo de ver o tanto que os personagens cresceram ao longo da trama e percebe-se isso através de suas atitudes e suas ações. Ansiosa para saber o que acontecerá no próximo livro, Through the ever night que tem previsão para ser lançado aqui no Brasil ainda no segundo semestre.
Livro mais que recomendado para os fãs de distopias. Não faço comparações pois acho que cada livro de distopia tem uma abordagem diferente de mundos criados diferentes, mas garanto que vale a pena esta leitura. Sob o céu do Nunca é um livro com leitura rápida, fluida, e apaixonante. Leiam!


Lançamento: Inverno de Cinzas - Adriana Brazil



Sinopse: No segundo livro da série “Foi Assim que te Amei”, INVERNO DE CINZAS, Helen depara-se com o momento mais crítico da sua vida. Nada diferente do forte Inverno que está sobre o país naquele ano. Tristeza, solidão, ressentimentos, lágrimas e dor, sopram as folhas deixadas pelo Outono de sonhos que Helen viveu, trazendo o frio da estação ao seu interior. O cinza que cobre seus dias a leva para uma profunda depressão. Ela encontra nos amigos, na família e na fé a força para continuar. Ela desabafa seus sentimentos na sua agenda, colocando suas emoções sufocadas pela saudade, como um Inverno sem cores, onde tudo ao seu redor, está completamente frio, cinza e sem vida.



Para comprar o seu exemplar na pré-venda, basta acessar:  http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/4869607/inverno-de-cinzas/

#CircuitoNovoConceito: Sonhe Mais



Você saberia lidar com a partida da pessoa amada?
Esta pergunta é o tema central do livro de Jai Pausch, Sonhe mais. Muito bom, diga-se de passagem.
Sabe quem é ela? A viúva de Randy Pausch, o sujeito que tinha câncer no fígado, fez um discurso e escreveu um livro: A lição final. Sonhe mais é a versão dela, da esposa, sobre uma vida de paixão, amor e família. Mais incrível que o primeiro!
É tão provocante, mexe tanto com a gente que eu não consegui desgrudar do livro. Logo que comecei a ler tive raiva de Randy Pausch(!), o marido, fechei o exemplar e comecei a refletir. Mas aquele livro ao meu lado parece que me chamava, então iniciei a leitura novamente, de onde parei.
Três capítulos depois e eu estava com dó -- pena mesmo -- do Randy Pausch, afinal ele estava morrendo! Pensei: "acho que ele está certo, só pensando no melhor para a esposa e filhos", e continuei a ler.
Conforme Jai Pausch, a autora de Sonhe mais, escrevia e descrevia suas experiências -- que senti todas -- comecei a pensar que ela é quem estava errada, achei a mulher fria em certos momentos.
Pois fiz uma pausa e pensei novamente! Que loucura!
Mas o livro continuava a me provocar e lá fui eu, novamente, ler. Finalmente, percebi que Jai estava vulnerável, ela ia perder o marido de quem tanto gostava, mas tinha que continuar a vida, tinha que cuidar do doente e dos filhos ao mesmo tempo ( nada como uma mulher para fazer isso), e pensar no que aconteceria depois que Randy falecesse!
Como ela foi forte, como sofreu e como amou!
Na verdade, eles viveram um grande amor! E eu vivi um turbilhão de sentimentos!
Veja, já li livros intrigantes, emocionantes, mas que me provocasse sentimentos de compaixão, raiva, compreensão, amor, dó... tudo ao mesmo tempo, este foi o primeiro.



Promo: Combo de livros YA da Susane Colasanti

Oi galera! Desculpa não ter postado esses dias mas agora que está pra começar mais um semestre de faculdade, não garanto muitas atualizações aqui no blog. Mas sempre que der, postarei algo.
Então, para aqueles loucos por YA, aproveitem esta promoção em parceria com a Djenifer do blog Acidamente Sensível.



a Rafflecopter giveaway


Como participar:
- Preencher o formulário.
- Comentar nessa postagem.

Resultado:



Observações:
- O envio do livro "Esperando por você" é de responsabilidade do blog Acidamente Sensível. E o envio do livro "Bem mais perto" é responsabilidade do blog Thay Priscilla.
- O envio dos livros irá acontecer até 30 dias úteis após o resultado da promoção.
- O vencedor terá 24 horas para responder o e-mail que lhe será enviado.
- Quem não seguir as regras é desclassificado.
- Participação válida para pessoas com endereço de entrega no Brasil.
- A promoção começa hoje dia 03/03 e termina dia 03/04

Fique ligado #10



Olá pessoal! Este post está completamente cheio de livros, alguns já lançados, outros que ainda serão lançados. Tem muitos livros legais, e de todos os estilos possíveis para o agrado de todos os leitores. Só falta tempo e dinheiro para conseguir ler todos. E vocês, quais são os seus desejados?

                    

                    

                    

          


                    




Resenha: Postais do coração - Ella Griffin


Sinopse: Saffy tem um trabalho incrível em uma agência de propaganda em Dublin. Ela tem sua difícil mãe a uma distância segura. E ela acredita que seu namorado ator Greg — o próximo Colin Farrell — finalmente irá pedi-la em casamento. Conor admira a linda Jess. Mas depois de sete anos e gêmeos, ela ainda não se casará com ele. Ele passa os dias ensinando adolescentes terríveis e as noites escrevendo o livro que espera que mude tudo — inclusive a mente dela. Mas está difícil de alcançar finais felizes...
O livro gira em torno da vida dos casais Conor e Jess e Saffy e Greg. Ella Griffin aborda em seu livro os relacionamentos, sejam eles familiares, amorosos ou mesmo profissionais.
Devo dizer que gosto de livros assim, que abrange um número grande de personagens pois é impossível ficar monótono ou chato. Mas este livro é tão grande, mas tão grande – não no tamanho, mas na história – que, para mim, acabou ficando meio cansativo.
Postais do coração é dividido em três partes. A primeira ocupa-se de nos introduzir a vida dos dois casais, introduzir as pessoas relacionadas a eles e explicar-nos todos estes relacionamentos. Apesar de ter sido uma parte bem agradável devido as novas descobertas, acho que a autora pecou em alguns momentos pois a narrativa nem sempre mantém o mesmo ritmo. Em alguns momentos, as cenas são lentas e descritivas e em outras são rápidas. Na verdade, a trama final desta primeira parte é bem rápida e isto me incomodou um pouco.
A segunda parte e a terceira parte me agradaram bastante. Temos o desenvolvimento das ações que aconteceram na primeira parte e acho que a autora soube levar bem este desenvolvimento. Não foi nada previsível, o que eu realmente adorei.
Não tive problemas com os personagens pois nisto eu posso dizer que a Ella acertou em cheio. Os personagens tem vida própria. Vemos o desenvolvimento deles, alguns mudando devido as experiências que tem ao longo da trama, outros que você enxerga perfeitamente que não mudaram em nada. Cada um com suas características próprias.
No geral, achei a ideia da autora muito legal. Gosto de livros que abrangem várias vidas e que tudo se mostra meio que entrelaçado. Porém, em alguns momentos, ela realmente correu com os acontecimentos. É um livro cheio de reviravoltas e com muitos personagens, então, para alguns leitores, a leitura pode ser realmente cansativa. Mas ainda assim eu indico. Principalmente para aqueles leitores que gostam deste tipo de livro.


Vale a pena assistir #8 Lola

Oi! Mais um Vale a pena assistir e desta vez o post é sobre um filme. O filme chama-se Lola (em português) mas o título original é LOL: Laughing out loud.



Assisti este filme pois gosto de alguns trabalhos de Miley e estava curiosa sobre este. E eu realmente amei. Não fui surpreendida, nem nada do tipo, mas o filme é bom. Um filme tipo sessão da tarde, agradável e leve. Para aquelas pessoas que gostam de ler livros do gênero YA, eu totalmente recomendo este filme. Até porque ele se enquadra neste gênero.
O filme tem um enredo bacana. Ao mesmo tempo em que aborda a tecnologia e a vida dos adolescentes, ele também aborda questões familiares e relacionamentos. Como eu disse, não é nada tão surpreendente mas ainda assim é bem agradável e gostoso de assistir.
O filme também tem vários cenários legais. Os personagens, também são bem estilosos e tem características fortes, não parecendo tão superficiais.
Este filme é a versão americana da comédia francesa Rindo à toa, de 2008. Apesar de ter curtido este, soube que a versão francesa é bem melhor e vou tentar assistir também. Enfim, Lola é um filme que eu achei muito fofo e adorei. Sei que tem gente que odiou, e outros que irão odiar.. mas, para mim, vale a pena assistir!
Lola (Miley Cyrus) namora Chad (George Finn). Ele têm uma banda e ensaia quase todos os dias para o grande show da escola. Tudo ia muito bem entre eles até Lola descobrir que Chad é na verdade um galinha. Para piorar suas notas na escola vão de mal a pior. Sua mãe (Demi Moore) está tão brava com as confusões de Lola que não vai mais deixar ela ir à Paris no final do semestre com a escola. Só que as coisas ficam ainda mais complicadas quando Lola percebe que Kyle (Douglas Booth), seu melhor amigo, pode ser muito mais que isto. O que fazer agora, se todos eles só pensam em se divertir e curtir?


Resenha: 9 minutos com Blanda - Fernanda França


Sinopse: Ótimo panorama. A minha mãe e a minha sogra planejavam o meu casamento, eu nem sequer sabia se o meu namorado queria se casar comigo e eu não parava de pensar em um cara cujo nome eu desconhecia. Naquele momento, pensei: “Sou a pior espécie de mulher que já existiu, mas não posso desistir de mim mesma, senão estou perdida”. Decidi dar uma chance para o que é real e tentar esquecer a história de cinema com o gerente de banco que era baterista. Até porque história de cinema é escrita para cinema e só acontece no cinema. Seria diferente comigo?

Sabe aquele livro gostoso de ler, engraçado e que ainda é super rapidinho? Bem, “9 minutos com Blanda” é exatamente assim. Leitura rápida, narrativa fluída e com uma protagonista cativante.
Blanda é uma advogada que está a procura de emprego, mas, devido à sua sinceridade e por não gostar de enrolação, a procura por emprego não está sendo nada fácil. Ela tem uma mãe que se veste mal e é meio doida além do seu gato Freddy. E também tem Max, seu “namorado”. Blanda acha que gosta dele, então, decide enfrenta-lo de uma vez e nisto, ela acaba visitando a sogra e acaba de tornando noiva de Max de uma hora para outra. Como se não fosse o suficiente, ela acaba por conhecer em um inusitado episódio no banco, o gerente bonitão que também é baterista de uma banda. E é assim, que a vida de Blanda vira definitivamente de cabeça para o ar.
9 minutos com Blanda” é um chick-lit cativante e delicioso de ler. Com personagens muito engraçados e divertidos, que conquistam o leitor logo de cara. Adorei todo o cuidado que a Fernanda teve com cada personagem e com o rumo deles na história.
Em alguns momentos eu me senti realmente surpreendida pela autora pois, apesar de o final ser previsível, a maneira como a Fernanda França chegou até ele foi surpreendente. A Blanda tem todo um desenvolvimento ao longo do livro e vemos o amadurecimento da personagem. E isso foi o que mais me agradou no livro.
Enfim, é uma leitura super indicada. Livro curto, leve e gostoso de ler. Para quem é fã de chick-lit, não perca a chance de ler “9 minutos com Blanda” da autora nacional Fernanda França.



Giveaway hop: O amor na literatura



Baseado nos Giveaway Hop que o blog I am a reader, not a writer faz internacionalmente.


Este Giveaway hop é em comemoração ao Valentine's day (14/2). Para países como Estados Unidos, Canadá, França, Reino Unido, México, etc, neste dia é celebrado o dia de São Valentim. É uma data especial para os casais de namorados e para celebração do amor. Então, nada mais justo do que dar a chance de vocês terem também alguns livros de romance.
Aqui neste blog será sorteado um exemplar do livro Lola e o garoto da casa ao lado.
Não perca os outros blogs participantes deste hop!

Aprendendo com meus erros
Viaje na Leitura
Thay Priscilla
Ler e Imaginar
Este já li


Observações:Promoção válida até o dia 23/2.
O prazo de envio dos prêmios aos ganhadores é de até 30 dias úteis.
Qualquer dúvida em relação a esta promoção pode ser deixada nos comentários que iremos responder.
Boa sorte!

Vale a pena assistir #7 Hart of Dixie


Oi! Estou aqui com mais um post da coluna Vale a pena assistir, desta vez é sobre a série Hart of Dixie. Uma série que eu adoro muito e acompanho desde que estreou na CW.


A série conta um pouco da vida da Dra. Zoe Hart e de como ela deixa a sua amada cidade de NYC para ir trabalhar no Alabama. A série possui até agora duas temporadas. É uma série muito engraçada e divertida. Ao mesmo tempo em que é uma série médica - afinal Zoe é uma médica - também aborda temas sobre cidades pequenas, culturas do interior, etc. Os personagens também são muito bem explorados e garanto que vão te conquistar. Além disto, a série tem um elenco incrível e muito, mas muito bonito. Os garotos irão adorar as personagens de HoD, e para as meninas, HoD tem vários atores lindos.
Como eu disse, a série é bem diversificada. Tem um pouco de assunto médico, diversão, cultura de cidade pequena, e claro, romance. Adoro comédias românticas e HoD tem um pouco disso. Logo que começa a acompanhar já tomamos um team sobre o par de Zoe. No meu caso, sou totalmente team Zade.
Enfim, os episódios em geral não tem muita ligação um com o outro. E acho que é isso foi o que mais me conquistou. Não é preciso lembrar de todos os detalhes de episódios anteriores para continuar acompanhando a série. É uma série leve, divertida, uma das minhas preferidas, e que eu recomendo. Com toda a certeza, vale a pena assistir.

*HoD significa Hart of Dixie
Sinopse: Zoe Hart é uma médica nova-iorquina recém-formada que acha que já tem seu futuro todo planejado: depois de se formar em primeiro lugar na faculdade de Medicina, ela pretende seguir os passos do pai e se tornar uma cirurgiã cardíaca. Mas quando seus sonhos desmoronam, Zoe decide aceitar a oferta de um estranho, o Dr. Harley Wilkes, para trabalhar com ele em sua pequena clínica em Bluebell, Alabama.


Resenha: A passagem do Anjo - John Sack

O livro nos conta a história de Ângelo Lorenzini, um nobre descendente de uma linhagem de lobos que tem como herança deixada por seu avô, ser um lobisomem. A narrativa se passa na Itália do século XIII, e o autor utiliza-se de acontecimentos históricos, nomes de papas e monarcas que realmente existiram como Bento e Felipe - O Belo para tornar a história bem detalhista e realista .
Em grande parte do livro, Angelo se encontra encarcerado em sua prisão, onde tudo o que faz é recordar de sua vida. Devido a isso, é possível observar que muitos dos pensamentos e opiniões descritos são frutos das lembranças de Ângelo e podem não ter ocorrido exatamente como foram descritas. Lorenzini nos conta toda a sua vida depois da perda de seu pai Iacobello, descreve sua juventude na cidade de Todi com sua mãe Lúcia, seus estudos com seus tutores e seus envolvimentos com mulheres proibidas, dentre elas sua própria irmã mestiça, que também possuía a herança de seu avô. No meio do livro, a história se alterna com Angelo estando ora em sua prisão, ora em suas recordações tanto no monte Laverna em sua busca espiritual, quanto na torre Del Lupo, que pertencia a família, onde ele encontrou seu verdadeiro amor, Maria Vidone, com quem teve um filho ,Tino, que também era descendente da linhagem de lobos. Depois de passar 7 anos vivendo como lobo na companhia de seu avô Lorenzo, e de passar vários anos preso, Angelo termina sua vida vivendo em paz com sua amada Maria e seu filho Tino, em uma cabana na floresta.
Na minha opinião este é mesmo um livro surpreendente, quando o leitor pensa que não há mais nada para acontecer percebe que os problemas só estão no começo, o excesso de detalhes históricos deixam o livro cansativo ,daqueles que você demora muito tempo para terminar de ler uma página, sem contar as várias cenas fortes que acabam por deixar o livro bem distante da proposta de ficção e mais próxima da tragédia.


Resenha escrita por Aline Ottobone Brandão

Resenha: Extraordinário - R. J. Palacio

Primeiro lugar da lista de best-sellers do The New York Times, eleito um dos melhores títulos YA de 2012 nos Estados Unidos, o premiado livro de estreia da americana R. J. Palacio traz à tona a luta contra o preconceito ao contar a história de um menino de 10 anos que nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial.
Narrado da perspectiva de August e também de seus familiares e amigos, com momentos comoventes e outros descontraídos, Extraordinário consegue captar o impacto que um menino pode causar na vida e no comportamento de todos, família, amigos e comunidade – um impacto forte, comovente e, sem dúvida nenhuma, extraordinariamente positivo.
August é um menino de 10 anos que nasceu com uma síndrome genética e, como sequela, teve uma deformidade facial. Ele já está acostumado com os olhares de surpresa das pessoas e o modo como tentam desviar o olhar deu seu rosto. Mas quando sua mãe tem a ideia de coloca-lo em uma escola, Auggie não aceita a ideia no começo. Mas Auggie muda de ideia e pretende estudar em uma escola como todos os outros. É um menino esperto, inteligente e muito decidido. Sabe que a escola não seria fácil, mas ainda assim, continua firme e forte apesar de todas as barreiras que a vida na escola lhe impõe.
O livro é dividido em oito partes e cada parte tem um narrador. Auggie é o narrador principal, que nos introduz à sua vida de menino. Este personagem é fantástico! Apesar de eu geralmente não me familiarizar muito com personagens infantis, August é capaz de conquistar qualquer leitor com a sua inocência e a sua sinceridade. É um menino muito gentil, que sofre com todas as sequelas deixadas pela síndrome, e também é bem inteligente. Infelizmente, a probabilidade não estava a favor de August, uma vez que a probabilidade de ser assim como ele é de uma em um milhão. Mas ainda assim, ele é um menino alegre, que conquista qualquer pessoa que se dê a chance de conhecê-lo melhor.
Quando chega a idade de as crianças frequentarem as escolas, é muito comum sofrer de ansiedade e medo. Afinal, não é fácil estar em um ambiente novo com pessoas novas. Para August, que nunca frequentou uma escola antes, é ainda pior tentar se juntar à multidão pois ele sabe como as pessoas olham para ele e como sempre é o centro das atenções. Apesar de seu esforço para esconder o rosto com o cabelo comprido, ele começa a frequentar a escola e sabe que é o alvo das fofocas. Em muitos momentos, senti pena do garoto, por sofrer tanto nas mãos dos outros alunos, por ser alvo das conversas, das piadas, das brincadeiras de mau gosto. Chorei em vários momentos enquanto Auggie, firme e forte, narrava seus dias de escola. É impossível não se emocionar com a vida deste garoto.
"Toda pessoa deveria ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo." 
Sua narração sincera deixa o leitor sensível aos episódios que ocorrem com ele. Em vários momentos, deu-me vontade de entrar no livro e dar broncas nos outros meninos. Inevitavelmente, me enchi de um sentimento protetor em relação ao Auggie. Achei incrível como a autora foi capaz de transformar antes o sentimento de pena, que senti inicialmente quando August nos revela sua deformidade, em um instinto protetor em relação à ele. E é tudo tão real, tão vívido, que acaba se tornando uma leitura muito tocante.
As partes que não são narradas pelos Auggie, são narradas por alguém relacionado à ele. Seja um colega de escola ou mesmo sua irmã, Olivia. Também achei fantástico a autora ter separado capítulos narrados por diferentes personagens pois dá abertura ao leitor para descobrir realmente o que o personagem sente em relação ao August. E estas partes do livro acabaram se tornando uma verdadeira surpresa para mim. A maior surpresa foi Olivia, que é irmã de August, se mostra protetora em relação ao irmão mas ao mesmo tempo se sente culpada pelo inevitável sentimento de ciúmes e vergonha.
No geral, o livro nos mostra as dificuldades de August em ser tratado como uma pessoa normal. Mas também nos mostra que a sociedade muitas vezes não está preparada para lidar com qualquer diferença que outra pessoa possa ter. Neste livro, a diferença é a deformidade facial de August mas também há outras várias diferenças que as pessoas às vezes tem dificuldade em aceitar.
O livro é fantástico, perfeitamente escrito, e superou todas as minhas expectativas. Com uma narrativa fácil e cativante, reconhecemos que a vida de Auggie não é nada fácil mas ele não se deixa desanimar. Um personagem exemplar, e completamente extraordinário, que vai te conquistar se você se der a chance de conhecê-lo também.



Leia o primeiro capítulo do livro e, se gostar, aproveite e reserve seu livro! Compare os preços aqui.

Vale a pena assistir #6 The Carrie diaries



Oi! Mais um post da coluna Vale a pena assistir. Desta vez a série é The Carrie diaries, uma série que acabou de estrear no mês de janeiro e já está fazendo muito sucesso.

Adorei os episódios que assisti até agora. A série aborda a vida da Carrie, com a chegada de um garoto novo no colégio e com seu novo estágio na Cidade. A série é muito estilosa, vemos isto nas roupas que a Carrie começa a usar e com todo o visual da Cidade. Simplesmente amei tudo, desde os visuais, o enredo e principalmente os personagens. Estou ansiosa por mais episódios e eu totalmente recomendo. Vale a pena assistir ;)



É 1984 e a vida não está fácil para Carrie Bradshaw, de 16 anos. Desde que a mãe morreu, a irmã de Carrie, Dorrit, está mais rebelde do que nunca e o pai das meninas, Tom, está sobrecarregado com a responsabilidade de, de repente, ter que cuidar de duas adolescentes sozinho. Os amigos de Carrie – a doce e nerd Mouse, a sarcástica e cheia de si Maggie e o sensível Walt – tornam a vida mais suportável, mas vivê-la no subúrbio de Connecticut não está ajudando muito a mantê-la longe dos problemas. E ainda que a chegada de um estudante bonito e sexy que acaba de ser transferido, o Sebastian, traga alguma emoção à sua vida, Carrie continua lutando para superar a dor. Então, quando Tom oferece à Carrie uma oportunidade de fazer estágio em uma firma de Direito em Nova Iorque, ela se entrega a essa chance. Os olhos de Carrie estão bem abertos para o glamour de Nova Iorque – e quando ela conhece Larissa, a editora de estilo da Interview Magazine, ela fica inspirada com o mundo cultural e único que envolve o universo de Larissa. A família e os amigos de Carrie têm espaço especial em seu coração, mas, pela primeira vez, ela se apaixona de verdade pelo homem da vida dela: Manhattan.